quarta-feira, 27 de março de 2013

Haikais de uma feminista, progressista, secularista, politicamente correta e antenada nas soluções para temas "polêmicos"


É coisa, não gente.
Razão, não religião.
Sem papo de crente.

Nosso Estado é laico.

Ninguém vai dizer amém
Para um Deus arcaico.

Fé não tem mais vez.
Nem sei o que diz a lei,
Mas o Jô é dez!

A ciência ordena
Parar de vez de fumar.
Eu vi no Datena.

Há que ter cautela.
Confiar, sem pestanejar,
No Dráuzio Varella.

É medieval
Casar e os filhos criar.
E o carnaval?

Preciso de amor.
A via é sendo vadia,
Segundo o Jabor.

A escolha é minha.

No meu corpo mando eu.
Quero ser galinha.

De agir eu não deixo.

Eu sou consciente e vou
É votar no Freixo.

O destino da última flor do lácio



De Camões foste a rainha.
De Vieira, nobre amante.
Pessoa tão bem a tinha.
E tem mais quem te abrilhante.

Tem Machado, Rosa e Ramos
E outros tantos que a honraram.
Hoje tudo aceitamos
Dos que sempre te odiaram:

De miojo te cobriram, de Palmeiras te trajaram.

terça-feira, 26 de março de 2013

Bode é brasileiro: um soneto alexandrino


Não se pode fingir que está tudo normal.
Já há muito se escuta o balido do Mal.
A nação recusou-se a lutar quando pôde.
Só lhe resta jazer sob os cascos do bode.

Erigiu-se um mito em que a gente apostou.
Sem pudor, e ao contrário, ele veio e afagou
O ego dos bacharéis, que o tomaram por Cristo.
Coisa bem especial que ninguém tinha visto.

Exigiu, sem alarde, o que é tão precioso.
Ofertou o que há de mais baixo no mundo.
Fisgou uns com lisonja e com seu ar jocoso.

E comprou outra parte até pagando pouco.
Barganhar, apoucar, eis o seu dom imundo.
Mas quem a su'alma vende é que deve estar louco.

Soneto para os Progressistas


O silêncio, quebrado só agora,
De artistas que um ar tão grave mostram.
Sentem fundo que aquilo de que gostam
Virá de um novo mundo a ser a Aurora.

Quando antes fizeram-se de cegos
E de mudos também, àquela altura,
Mensaleiros, com tal desenvoltura,
Chafurdavam na pátria dos labregos.

De onde vem o escândalo presente?
Que foi que despertou esses gigantes
Morais, com suas almas debutantes?

Mexeram, por acaso, com sua gente?
Pois desçam do palanque, está no ponto
De ter co'a consciência um encontro.

Das Virtudes e Vícios do Ceticismo

Em maio de 2012, o autor destas linhas frequentava um curso preparatório para o difícil e concorrido concurso do Itamaraty. Faziam três...